Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A-24

Reputação de Portugal mantém-se em 19º entre 50 países

por A-24, em 26.09.12
Avaliados de zero a 100 por “consumidores” dos países do G8, Portugal recebeu 61,7 pontos em 2010 e 57,1 em 2012, menos dois pontos do que a Itália e menos quatro que a França – os dois países imediatamente acima na classificação.


As maiores quedas no ranking são da Grécia e Itália. O primeiro país desceu do 21º lugar que registou no passado ano para o 38º em 2012. Já a Itália desceu 4 lugares, para o 18º, imediatamente à frente de Portugal. Apesar de Espanha ter mantido a 16ª posição de 2011, esta classificação é uma queda significativa em relação ao 10º lugar que assegurou em 2009. 
O estudo é da autoria do Reputation Institute – que desenvolve a classificação desde 1999 – e baseia-se nas respostas de mais de 36 mil consumidores dentro do G8, que avaliaram as reputações de vários dos 50 países da lista. Ao todo, o estudo recebeu 53 mil classificações. O instituto especializa-se na consultoria e gestão de reputação para empresas e foi criado no final da década de 80 por um professor de gestão da Universidade Stern, em Nova Iorque.
As classificações são dadas através do sistema RepTrak, que avalia as respostas “emocionais” dos participantes e as orienta posteriormente para uma “explicação racional do emocional”, de acordo com o documento publicado esta terça-feira. Assim, de quatro dimensões subjectivas – estima, sentimento, admiração e confiança –, o RepTrak orienta os participantes para três esferas objectivas: economia avançada, ambiente apelativo e Governo eficaz.

Dentro destas três categorias, as respostas dos inquiridos avaliaram 16 características diferentes, que vão desde a “beleza do país” à “qualidade dos bens produzidos”.
Sete países europeus – com a excepção da Suíça, todos do norte – figuram entre os primeiros dez lugares do ranking. O Canadá venceu pelo segundo ano consecutivo o primeiro posto, seguido este ano pela Austrália. Entre os BRICS, não existe uma tendência clara. Se, por um lado, China e Rússia têm vindo a cair na classificação desde 2009, África do Sul, Brasil e Índia pouco oscilaram. 
De acordo com os responsáveis pelo estudo, a classificação atribuída anualmente pelo Reputation Institute tem um peso significativo nas receitas que um país consegue obter através do turismo e do investimento directo estrangeiro.