Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A-24

Reações inflamadas ao site xenófobo do PVV

por A-24, em 17.02.12
(NRC Handelsblad) A seguir ao lançamento do site do Partido da Liberdade (PVV, populista), que dá aos holandeses a possibilidade de denunciar os “danos e a poluição” dos residentes dos países da Europa central e oriental, os embaixadores dos dez países envolvidos escreveram uma carta aberta “à sociedade holandesa e aos seus dirigentes políticos”.
Nesta carta, publicada na primeira página do NRC Handelsblad e referida nas colunas de opinião do Volkskrant, os embaixadores afirmam que este site encoraja clichés negativos, é “discriminatório” e “denigre um grupo específico” que também “contribuiu consideravelmente para o crescimento económico e para o orçamento do Estado holandês”. Louvam o papel exemplar em matéria de liberdade e tolerância da Holanda e concluem pedindo à “sociedade holandesa e aos seus líderes políticos que se distanciem desta iniciativa duvidosa”.
No seu editorial, o NRC dá conta da situação difícil em que se encontra o executivo do liberal Mark Rutte, que conta com o apoio do PVV, mas espera que “o Governo, mesmo assim, se mantenha afastado deste site odioso”. O diário de Roterdão lamenta ainda o facto de “o site se arriscar a dificultar a cooperação entre a Holanda e os países em questão, uma coisa que não é seguramente do interesse holandês”.
Precisamente nesse sentido, De Volkskrant sublinha que as empresas holandesas estão a sofrer as consequências da imagem deteriorada da Holanda nos países em questão, nomeadamente na Polónia e, em particular, no setor da floricultura. Ironia do destino, nota o diário, o Keukenhof, o célebre museu ao ar livre a inaugurar dia 22 de março, irá ter por tema, este ano, “Polónia – o coração da Europa”.
Nos países visados pela iniciativa do PVV, as reações não se fizeram esperar. Por exemplo, o diário eslovaco Pravda refere que
classificar os indivíduos de acordo com as suas origens étnicas ou convicções religiosas é um método habitual dos populistas que precisam de culpados para atrair eleitores. […] Até mesmo a Holanda, onde o clima político se alterou profundamente no decorrer destes últimos anos, não está imune a este vírus.
O site búlgaro euinside afirma, por seu turno, que "as campanhas como a do Partido da 'Liberdade' holandês servem apenas para vincar o sentimento amargo de que os 50 anos de Europa unida que temos vivido não serviram para nada".

Press Europe

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.