Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A-24

Milan... O Sono do Gigante!

por A-24, em 05.07.10
Milão sempre foi a cidade em que a moda andou de braço dado com grandes vitórias... desde os tempos dotriosueco composto por Gren, Nordahl e Liedholm, o famoso Gre-No-Li, que os rossoneri habituaram-se a vencer... as taças europeias e scudettos embelezavam o museu do clube, tal como o La Scala é algo incontornável na cidade, capital da moda em 
Itália...
E, os adeptos rossoneri habituaram-se a isso... a um incontável número de vitórias, a fantásticos jogadores cujo verbo principal e bastantes vezes conjugado era o "vencer"! A exigência aumentava e só mesmo a despromoção administrativa, devido ao escândalo das apostas no Totobola, arrefeceria um pouco a ilusão...
Mas, da penumbra, surgiria Besrlusconi...o magnata italiano, com todos os defeitos que possa ter - retirando o de gostar de belas mulheres, que isso ainda não será pecado - teve um grande mérito que foi resgatar a honraRossoneri!
Chegando ao clube com este a penar na Serie B, tudo mudou... após garantir a subida voltou a tornar o clube num imenso manancial de refererências... Com efeito, o inolvidável trio de holandeses (Gullit, Van Basten e Rikjaard) conseguiu devolver as vitórias que andavam arredadas do San Siro...Com estes apareceriam símbolos que se tornariam eles próprios, o Milan: falamos de homens como Baresi, Costacurta e Maldini que viveram toda estes anos ascensionais e de constantes e habituais vitórias... foram cinco Champions em menos de vinte anos!
Além dos sucessos europeus, o Milan tornou-se quase, o crónico vencedor da Serie A... apesar da Juventus ter conseguido vencer títulos, sem dúvida que os homens do San Siro, ameaçavam sempre e entravam, em todas as competições, para ganhar!
E as grandes equipas faziam-se assim... jogadores com mística, outros com um talento sobrenatural e treinadores emblemáticos que percebiam, plenamente, a filosofia do calcio e em que linhas tácticas este se urdia... Lembramo-nos de Sacchi, Capello ou Ancelotti que tiraram a carta de alforria em Millanello!
Mas no fim da pretérita temporada, subitamente, tudo se alterou... Ancelottti partia seduzido pelas libras do Chelsea... Maldini, o eterno capitão que recebeu a honra das mãos do imperial Franco Baresi, aos quarenta e um anos, pendurava as botas... Shevchenko, que anos antes, houvera sido o mais digno sucessor de Van Basten, abandonava o clube sem fama, nem glória... Ronaldinho perdia-se em aventuras estéreis que só prejudicavam a aura de génio dentuça que tinha e não conseguia assumir o papel prepodnerante que tivera em Barcelona... e Kaká, o símbolo mais amado do universo milanês, Il Principe di Milano, após diversosgalanteios de pretendentes endinheirados, deixava-se seduzir por Madrid, prometendo-lhe casamento...

Todas estas situações, em tempos idos, mereceriam rápida e eficiente resposta de Berlusconi, ou quanto muito do seu lugar-tenente Galliani... mas desta feita, nada disso aconteceu!
Talvez, devido à crise que o vai minando, o calcio, já, não é aquele el dorado que houvera sido nos anos oitenta e noventa...surgem, agora, nesse lugar, com mais refulgência a Liga Espanhola e a Inglesa... em Itália, as estrelas, fora algumas excepções, são aquelas que os britânicos ou castelhanos optam por não comprar...ou então, simplesmente, dispensam-nas!
E aí, Galliani errou e já não falamos na surrealistíca rábula da contratação abortada de Cissokho... falamos das contratações efectuadas e que não dotaram a equipa da qualidade a que ela habituou os tiffosi... É óbvio que homens como Pirlo, Gattuso, ou Pato - sério candidato a melhor jogador do mundo, nos anos mais próximos - conseguem transmitir uma centelha de qualidade... mas a verdade é que Maldini, ou Kaká têm provado que são insubstituíveis!
E, ademais, Onyewu ou Thiago Silva, apesar de terem qualidade, jamais almejarão a esse patamar dedeuses, de referências... bem como Huntelaar, a contratação mais cara dos Rossoneri, que apesar da qualidade nunca terá o estofo de Van Basten...
Ainda, outro problema assombra a equipa... Ronaldinho... em constantes crises existenciais...num dilemapsicadélico entre uma vida boa com um dos executantes mais requintados que este mundo já conheceu e umaboa vida com copos, farras e problemas em excesso... para lamento dos milanistas em particular e dos adeptos do belo futebol em geral tem optado pela boa vida... e o mundo encontra-se privado de um verdadeirodeus da bola!
E a enegrecer o quadro, o treinador... Leonardo é o que se pode chamar um gentleman... um homem delicado e cordato, que um dia, naquele Mundial94 teve um acesso de loucura, mas que após isso voltou a cultivar essa imagem... mas não tem qualquer experiência de banco... apesar de Sacchi ou Capello não teremcurriculum à data da entrada em Millanello tinham experiência em clubes de menor dimensão...Leonardo acusa essa inexperiência e cede... por vezes surpreendentemente, como na passada Quarta-feira frente ao Zurich, outras dolorosamente como quando foi goleado pelo Inter de Mourinho! Aliás, já sabe que se neste fim de semana perder em Atalanta, terá de ceder o lugar a outro técnico...
Entretanto, Berlusconi continua perdido nas suas guerras de alcofa...quando acordar tentará acordar o gigante que comanda deste sono profundo... e quando ele quer, o seu dinheiro consegue... Quando o despertará deste doloroso adormecimento?