Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A-24

Espanha perde com Chile. campeã do mundo é a primeira a ir para casa

por A-24, em 19.06.14


Nesta fase todos vão dizer "bem tinha avisado", etc, mas ninguém de maneira convicta podia perspectivar que ao 2º jogo a selecção que dominou o futebol Mundial nos últimos 6 anos estivesse fora da competição e que o Chile e Holanda iam discutir quem vai passar o grupo A em primeiro. Mas foi isso que aconteceu! Brasil 2014 ditou o fim da hegemonia da Espanha e da pior maneira possível. A La Roja depois de ter sido humilhada pela Holanda, foi derrotada de maneira clara pelo Chile e está fora do Mundial (o jogo contra a Austrália vai ser só para cumprir calendário). Mérito do conjunto chileno, que com a sua agressividade, velocidade e vontade superiorizou-se ao campeão do Mundo e bi-campeão europeu e vai agora discutir o 1º lugar no grupo com a Holanda.
Quanto ao jogo, muita intensidade dos chilenos e passividade espanhola. O conjunto sul-americano chegou ao 0-1 de uma forma fantástica e depois tapou todos os caminhos para a sua baliza. O 0-2 foi um "golpe de morte" em Espanha, apesar de "nuestros hermanos" ainda terem desperdiçado duas soberanas oportunidades para regressar ao jogo (Diego Costa e Busquets, isolados). Com este resultado e um "score" de 1-7 em golos, a selecção espanhola soma a sua pior prestação em Mundiais (se ganhar por 5-0 à Austrália, iguala as prestações de 1962 e 1966). Os espanhóis ficaram pela fase de grupos pela 5ª vez na sua história (depois de 1962, 1966, 1978 e 1998) e imitaram os feitos da França (2002) e Itália (2010), que não estiveram à altura da defesa do título de campeão do Mundo.

Chile - Depois de uma estreia com pouco sabor perante a Austrália, os chilenos mostraram ao Mundo toda a sua valia individual e colectiva. Uma exibição quase perfeita, com grande intensidade e a revelar a maturidade dos sul-americanos. Bravo esteve insuperável na baliza (encheu por completo), Aranguiz e Diaz dominaram no meio campo (Vidal cresceu de rendimento, mas ainda está longe do seu potencial) e a dupla Sanchez-Vargas não deu descanso à defensiva espanhola. Mena e Isla ocuparam bem os espaços e cumpriram com rigor as suas funções, enquanto os três centrais (Medel, Jara e Silva) chegaram para o ataque espanhol. 
Espanha - Do ponto de vista individual, destaque negativo para todos os elementos, que apareceram aqui e acolá, mas sem grande rigor e continuidade. Agora, quais serão as razões para este descalabro espanhol? Terá sido da fadiga física (a maioria dos jogadores não parou em 2013-14), da fadiga mental (jogadores fartos de ganhar - só nos últimos 6 anos foram 2 Europeus, 1 Mundial, muitos campeonatos e Ligas dos Campeões), das opções de Del Boque (tinha muitas alternativas e não geriu bem o balneário), deDiego Costa (certamente destabilizou o grupo, e em termos de jogo até condicionou a equipa), da má temporada do Barcelona (a equipa base da selecção é "made in" barça e os índices de motivação já não serão os mesmos)?