Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A-24

Dívida pública portuguesa nos 112% do PIB e juros espanhóis nos 7.5%

por A-24, em 23.07.12
A dívida pública atingiu 111,7% do PIB no primeiro trimestre do ano, o que representa perto de 190 mil milhões de euros.
A dívida pública portuguesa é a terceira mais elevada da União Europeia, sendo apenas ultrapassada pela Grécia e Itália.
De acordo com dados divulgados esta segunda-feira pelo Eurostat, a dívida do Estado atingiu 111,7% do PIB no primeiro trimestre, uma subida face aos 107,8% verificados no quarto trimestre de 2011.
A dívida grega vale 132,4% do PIB e a de Itália 123,3%.
O gabinete de estatísticas da União Europeia refere ainda que os 111,7% representam perto de 190 mil milhões de euros, cerca de 5 mil milhões acima que os 184,3 mil milhões registados no final de 2011.
Na zona euro, a dívida pública subiu 0,5% para 88,2% do PIB. Nos 27 Estados-membros da UE o aumento foi de 0,9%, para 83,4% do PIB.

Juros espanhóis chegam aos 7.5%
Os títulos de dívida de Espanha a dez anos atingiram na manhã desta segunda-feira um novo recorde ao ultrapassar os 630 pontos.
O risco da dívida espanhola a dez anos disparou para um novo máximo histórico e as taxas de juro chegaram aos 7,5%. Os títulos iniciaram a sessão nos 612,6 pontos, de acordo com o jornal económico Expansíon. Às 8h37 o prémio de risco da dívida espanhola face às obrigações alemãs (bunds) registavam 632 pontos base, com uma rentabilidade de 7,5%.

A zona euro disponibilizou até 100 mil milhões de euros para Espanha sanear o sector financeiro mas a aprovação do pacote pelo Eurogrupo, que decorreu sexta-feira, não fez dissipar as dúvidas quanto à dívida espanhola.

O parlamento espanhol também aprovou, na quinta-feira, um plano de ajustamento de 65 mil milhões de euros e cortes profundos na despesa pública. Este pacote de medidas, avançadas como contrapartida ao empréstimo concedido pelos parceiros europeus para financiar a banca, inclui o corte no subsídio de Natal aos funcionários públicos, uma redução no subsídio de desemprego e uma subida do IVA.

A alta de juros da dívida deixa poucas opções ao governo espanhol. A imprensa local refere que não haverá outra opção que não um pedido formal de resgate completo, cenário recusado por Mariano Rajoy até há pouco tempo.

Em Itália, esta manhã, a dívida situou-se nos 521 pontos, com juros que aumentaram dos 6,166% para os 6,35%.