Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A-24

Charles Manson vai continuar na prisão

por A-24, em 13.04.12
Charles Manson, condenado pelo assassinato de sete pessoas, incluindo o da actriz Sharon Tate – na altura casada com o realizador Roman Polanski e grávida de oito meses –, viu ser-lhe negada pela 12ª vez a possibilidade de sair em liberdade condicional.

Charles Manson tem agora 77 anos e esta terá sido a última vez que terá tentado sair em liberdade, escrevem os media norte-americanos. Só daqui a 15 anos – quando tiver 92 anos – Manson poderá novamente tentar sair da prisão.
Manson, um dos homens mais odiados da América, não esteve presente para ouvir a deliberação do painel, que considerou que o ex-líder de um grupo de assassinos que chocou o país não fez quaisquer esforços para se reabilitar.
O painel leu em voz alta uma frase dita recentemente por Manson a um dos psicólogos da prisão para justificar a continuação do seu encarceramento: “Eu sou especial. Não sou como o prisioneiro médio. Passei a minha vida na prisão. Levei cinco pessoas à sepultura. Sou um homem muito perigoso”.
As autoridades desfiaram igualmente uma série de infracções cometidas por Manson na prisão, incluindo posse de arma, pela qual o condenado serve 15 meses numa unidade de isolamento.
“É óbvio, por tudo aquilo que consta dos registos, que Manson continua a ser um perigo para o público”, disse o vice-procurador distrital Patrick Sequeira, que votou contra a liberdade condicional.

“Um homem mau”

Manson foi o cabecilha de uma comunidade hippie nos arredores de Los Angeles e que cometeu, na década de 1960, diversos assassinatos que chocaram a América. Manson acreditava e predicava a iminência de uma guerra racial entre brancos e negros chamada Helter Skelter.
Manson foi condenado à morte em 1971 por uma série de crimes violentos mas a sua pena foi comutada para prisão perpétua após a abolição da pena capital na Califórnia. Ainda hoje mantém um grande número de seguidores que continuam a enviar-lhe cartas.
Após mais de duas décadas de silêncio, Manson deu, há um ano, a primeira entrevista à edição espanhola da revista Vanity Fair. Nessa entrevista Manson declarava ser “um homem mau” e “sujo”. O ex-líder do grupo de assassinos declarou-se “um mesquinho, um sujo, um foragido e um mau”, quando lhe perguntaram pelas mortes cometidas em Agosto de 1969. “Vivo no submundo”, acrescentou o condenado. 
Público 13-04.2012