Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A-24

Bayern vence Supertaça europeia

por A-24, em 31.08.13
O Bayern Munique conquistou a Supertaça Europeia, depois de derrotar o Chelsea, em Praga, nas grandes penalidades (5-4, depois do empate a 2 nos 120'), num encontro que marcou o regresso dos embates entre Mourinho e Guardiola. O domínio dos alemães foi claro, embora sem grande objectividade, mas a organização, contra-ataque e posicionamento do conjunto inglês estiveram em destaque. Excelente partida, sempre com incerteza no resultado, que apenas foi decidida nas grandes penalidades onde os bávaros foram mais felizes, depois de Javi Martínez ter empatado o encontro já depois dos 120'. Esta conquista marca o primeiro título de Guardiola ao serviço dos alemães, depois de já ter desperdiçado a possibilidade de vencer a supertaça da Alemanha, enquanto que Mourinho adia, assim, o regresso às vitórias (o último título do português foi a supertaça espanhola com o Real Madrid), sendo que ainda não foi desta que venceu este troféu.

No que diz respeito ao encontro, o Chelsea fez o 1-0 nos minutos iniciais da partida, na primeira jogada ofensiva da equipa inglesa. Hazard cria o lance, Schürrle assiste primorosamente Fernando Torres, com o internacional espanhol a fuzilar Neuer para o golo inaugural. A formação de Pep Guardiola tentou responder, com Ribéry a testar os reflexos de Cech, mas os blues estavam, em virtude da liderança no marcador, claramente mais confortáveis no encontro. Muita organização da equipa orientada por Mou, sempre com as transições prontas aquando da recuperação de bola. Domínio dos bávaros, com a posse de bola típica, apoiado num Ribéry bastante activo, perante uns londrinos mais pragmáticos e com as melhores ocasiões de golo. A segunda metade do encontro começou com mais pressão do Bayern Munique e... com o golo do empate. Ribéry dispõe de muito espaço na diagonal e, apertado por Ramires, atira forte para a igualdade. Depois do golo alemão, manteve-se o domínio do vencedor da Champions, desta vez com o Chelsea menos afoito no ataque. Robben ainda esteve perto de marcar à sua antiga equipa, mas depois os blues tiveram 3 excelentes oportunidades de fazer o 2.º golo. Primeiro foi Oscar a desperdiçar frente-a-frente com Neuer, depois de um erro tremendo de Dante, depois foi Ivanovic a falhar de cabeça, e de seguida David Luiz não marca porque o guardião adversário faz uma defesa fantástica. Antes do final dos 90', Ramires foi expulso, no seguimento de uma entrada dura sobre Götze. No prolongamento, o Chelsea teve o título na mão, depois do golo de Hazard, aos 93', mas no último minuto do encontro - e depois de muitas ocasiões desperdiçadas pelos alemães - Javi Martínez adiou todas as decisões para as grandes penalidades. Na marca dos 11 metros, o Bayern foi mais feliz, vencendo por 5-4 (Lukaku falhou o remate decisivo).

Destaques:

Bayern Munique - A equipa de Guardiola fez um jogo bem conseguido, muito melhor a partir da 2.ª parte (nos primeiros 45min sofreu com o contra-ataque inglês), com um domínio assinalável. Os bávaros, contudo, cometeram alguns erros defensivamente (falhas de Dante e passividade no golo de Hazard), que poderiam ter custado a conquista do troféu. Falta um pouco mais de objectividade ao jogo alemão, isto porque, por vezes, existe alguma cerimónia na hora de finalizar. Boateng e Dante estiveram algo inseguros, enquanto que Alaba fez um jogo verdadeiramente fantástico (deu profundidade ao flanco esquerdo durante os 120'). Javi Martínez trouxe outra segurança à posse de bola do Bayern e foi um dos responsáveis pela vitória final; Robben só teve alguns rasgos interessantes e Ribéry fez um jogo brilhante. Grande resposta do francês ao prémio de melhor jogador da Europa, ao ser o autêntico dinamizador do ataque bávaro. Mandzukicfoi importante na batalha com os centrais, enquanto que Götze esteve pouco activo.
Chelsea - Jogo de esforço e luta por parte da equipa liderada por Mourinho. A 1.ª parte foi bastante interessante, com muita organização e intensidade, sendo que os blues tiveram as melhores oportunidades do encontro, apesar do domínio bávaro. Grande posicionamento defensivo que apenas foi derrubado no último minuto da partida, numa altura em que já se "celebrava" a conquista. Mesmo com a expulsão de Ramires, os ingleses estiveram coesos e o génio de Hazard quase levava a taça para Stamford Bridge. A dupla Cahill-David Luiz esteve impecável (apesar de alguma agressividade em excesso), e Ivanovic sofreu um pouco com as investidas de Ribéry. Cech fez uma exibição de classe mundial (a defesa ao livre de Ribéry foi um dos destaques da partida), sendo que Oscar fez uma partida assinalável a todos os níveis, sobretudo na ajuda defensiva. Hazard quase decidia a partida, depois de um grande golo (com grande "ajuda" de Neuer); Torres esteve muito bem na 1.ª parte, assim como Schürrle.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.