Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A-24

Alguns efeitos inesperados da redução artificial dos juros

por A-24, em 09.09.12
Tanto nos EUA quanto na Europa está havendo uma tendência de se substituir atendentes nos caixas de supermercados por máquinas de autoatendimento que permitem aos fregueses escanear o código de barra de seus produtos e fazer o pagamento por conta própria. Trata-se de mais um caso de trabalho humano sendo substituído por máquinas.  Uma análise superficial diria que isso é um mero sinal dos tempos, uma consequência inevitável do progresso tecnológico.  No entanto, tal fenômeno não é apenas uma consequência da tecnologia.
O gasto com a aquisição das máquinas, o capital que o administrador do supermercado deixa de investir em outras áreas para poder adquirir as máquinas, os juros que ele tem de pagar sobre os empréstimos contraídos para adquirir as máquinas, e todos os potenciais prejuízos futuros decorrentes do manuseio inapropriado das máquinas pelos clientes do supermercado -- ou até mesmo o possível aumento do roubo de itens do supermercado em decorrência da menor quantidade de empregados para vigiar os clientes -- terão de ser comparados à redução de custo permitida pela redução do emprego de pessoas nos caixas do supermercado.
No atual cenário de juros forçosamente baixos, este cálculo econômico parece estar a favor das máquinas.  Afinal, quanto menores os juros, maior o incentivo para se contrair empréstimos para financiar a aquisição de máquinas para substituir o trabalho humano.  Este desemprego diretamente causado pela manipulação dos juros é certamente uma consequência inesperada de uma política monetária expansionista.

Instituto Ludwig Von Mises Brasil