Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A-24

Ainda sobre a Eutanásia

por A-24, em 17.08.12
Tony Nicklinson só consegue comunicar com o piscar dos olhos. Pediu ao Supremo Tribunal de Londres que o possam ajudar a morrer sem ninguém ser responsabilizado, mas os juízes disseram-lhe que não.
A história de Nicklinson, de 57 anos, tem emocionado o Reino Unido. Desde que sofreu um AVC em Atenas, há já sete anos, que ficou paralisado a partir do pescoço, quase sem conseguir comunicar, a não ser com piscadelas de olhos e perante um software com um abecedário que o deixa escrever mensagens no Twitter. Não fala, não come sozinho, não voltará a levantar-se. E quer morrer, mas não quer que ninguém seja acusado por homicídio, por isso apresentou o seu caso ao Supremo Tribunal britânico e acaba de perder a sua primeira batalha legal.
Os juízes decidiram nesta quinta-feira não tomar uma decisão que iria contra a legislação britânica. “Não cabe ao tribunal decidir se a lei sobre a morte assistida deve ser mudada”, defendeu o juiz Roger Toulson, citado pela BBC. “De acordo com o nosso sistema, isso é uma questão para o Parlamento decidir”, adiantou.
Tony Nicklinson ficou “devastado” com a decisão, já tem definido a sua vida como “aborrecida, miserável, exigente, indigna e intolerável”. E agora deverá apresentar recurso. “Estou triste com o facto de a lei me condenar a uma vida de cada vez maior indignidade e miséria.”
O seu caso foi apresentado juntamente com o de outra pessoa, identificada apenas como Martin, de 47 anos, que está numa situação idêntica. Também quer ajuda médica para pôr fim à vida e também perdeu o caso que tinha apresentado ao tribunal.