Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A-24

A crítica certa, por João Vaz

por A-24, em 02.04.13
 in A Corte na Aldeia

A greve de fome do PNR
O presidente e o secretário-geral do PNR prosseguem a sua greve de fome, olimpicamente ignorados pela comunicação social. Esta, sobretudo as televisões, está mais ocupada a dar voz a comentadores e aldrabões que destruíram o país e, agora, aparecem como opinadores isentos e impolutos.

O regresso do Zé
O Zé que faz falta. O Zé Sócrates volta como comentador. Não faz grande diferença. É apenas mais um proxeneta a juntar a tantos outros proxenetas que comentam e se abotoam às custas da RTP -leia-se contribuinte.

Em Chipre realiza-se o sonho do esquerdalho
Com os ricos a pagarem a crise. Quem diria que a UE iria pôr em prática o velho slogan da UDP...

Paulo Bento, demite-te!
A selecção parece um circo, (des)orientada pelo palhaço Bento. Hoje, em Telavive, esteve à beira de se repetir a maior humilhação do futebol nacional em termos de selecções, ocorrida na caminhada para o mundial de Espanha em 1982. Nessa altura Portugal foi goleado por quatro a um em Israel. Hoje esteve a perder por três a um e só a incapacidade da selecção hebraica impediu males maiores. O futebol jogado é uma desgraça, a equipa envergonha Portugal. Depois deste humilhante empate com a selecção judaica segue-se a visita ao Azerbaijão onde, provavelmente, se prolongará o circo sem que o palhaço-mor se demita.

Os mestres
Cinquenta e tal anos depois do Grande Salto em Frente e mais de setenta após as fomes da Ucrânia ainda há bastardos que chamam mestre a Estaline e Mao. Veja-se o site Bandeira Vermelha, dos trastes do MRPP e aí se encontra uma biblioteca digital com algumas "obras" dos mestres homicidas citados. É assim, o carácter desta gente.


Coisas que vou lendo: história da primeira república portuguesa

Coordenada por Fernando Rosas e Maria Fernanda Rollo, editada pela Tinta da China, a minha edição é a segunda, de 2011. A primeira república vista pela equipa esquerdalhista da Universidade Nova. Come-se, com as necessárias cautelas.

Outra sugestão: Joana Vasconcelos, o expoente máximo da arte lusita
Enfim, depois do tubarão no aquário, do cavalo pendurado do tecto, da cama desfeita, dos caramelos espalhados pelo chão e outras abominações já nada nos espanta. Mas parece que anda tudo excitado com a grande artista portuguesa, desde o sr. Silva e esposa a outras altas individualidades. De resto, tanta gente, de Paris à Coreia não pode estar enganada. Joana Vasconcelos deve ser uma grande artista e criadora - ainda por cima dá emprego a algumas pessoas. Eu é que não tenho capacidade para compreender a complexidade ontológica e a beleza inquieta destas sublimes criações.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.